Buscar

Profissionais do NASF farão protesto na Secretaria de Saúde nesta quinta (25)

Manifestação terá a presença de pacientes e usuários do programa de saúde extinto pelo governo Nelson Ruas em janeiro


Por Cláudio Figueiras

Ato de protesto realizado no dia 4 de fevereiro na Prefeitura/Foto: Divulgação

Profissionais demitidos do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), pacientes e usuários realizarão nesta quinta (25), às 10 horas, uma manifestação na sede da Secretaria de Saúde (Semsa), no Shopping São Gonçalo (BR-101).


A manifestação é no sentido de cobrar do secretário de Saúde, André Vargas, a continuidade do diálogo iniciado com o governo no início do mês para a readmissão imediata dos trabalhadores e a revitalização do Programa, extinto em 26 de janeiro, e que está sendo reformulado no município com outro nome, mas com apenas 1/3 dos serviços oferecidos anteriormente à população.


Em 5 de fevereiro, um dia após ser realizado um ato de protesto na Prefeitura, uma comissão de trabalhadores e usuários se reuniu com Vargas, onde ficou estabelecido que seria marcada, na semana seguinte, uma nova rodada de conversas, reunindo desta vez as secretarias de Governo, Fazenda e a de Planejamento, que avaliariam a possibilidade de readmissão de alguns profissionais ao Programa.


Os vereadores Prof. Josemar (PSOL) e Romario Regis (PCdoB) mediaram e participaram desta reunião, e vêm pressionando através de suas redes sociais e da Tribuna da Câmara, a resolução do impasse que impactou milhares de gonçalenses que ficaram impedidos de acessar os serviços.


- O secretário não se manifestou desde o dia 5. Nós demos um prazo de até duas semanas para ver se marcava a próxima reunião. Aí teve o Carnaval e demos mais uma semana e nada dele se pronunciar. Na verdade, ele está se escondendo. Então nós decidimos fazer uma manifestação em frente à Secretaria de Saúde. Os profissionais e pacientes estarão lá cobrando uma próxima data. Estamos sem informação nenhuma do secretário - disse Fernanda Sette, assistente social que trabalhava no NASF desde 2012, até ser desligada do programa no final de janeiro.


Segundo a assistente social, está havendo um "desserviço" ao colocar apenas 8 núcleos frente aos 25 que haviam antes no município: "É inviável", diz ela, porque não vai suprir as necessidades da população. E os profissionais que estão sendo contratados, ou recontratados, são indicações de vereadores para trabalharem predominantemente em postos de saúde com salários mais baixos.


- Queremos esclarecimentos sobre essas contratações e sobre a situação dos que foram exonerados - encerra Fernanda Sette.


O elogiado programa, criado em 2008 e extinto em 2019 pelo governo Bolsonaro, foi mantido com recursos da Prefeitura pelo ex-prefeito José Luiz Nanci (Cidadania), que o reformulou em 2020 treinando todos os profissionais para lidarem com os desafios da pandemia no município.


O NASF, que chegou a ter mais de 200 profissionais, realizou, só no ano atípico de 2020, mais de 500 mil atendimentos em seus 25 núcleos espalhados pela cidade. Foram 300 mil só em serviços de fisioterapia prestados desde 2017.


O Programa foi rebatizado pelo governo federal de Previne Brasil.




MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon