top of page

Caso das joias: Bolsonaro dever ser indiciado, Michelle vai se safar; entenda

Investigadores dizem “não ver as digitais” de Michelle na venda dos presentes recebidos pelo marido durante o governo

Ao contrário do marido, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro não deve ser indiciada no caso das joias. Foto: Carolina Antunes/PR
Ao contrário do marido, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro não deve ser indiciada no caso das joias. Foto: Carolina Antunes/PR

A Polícia Federal já identificou qual foi o papel da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro no esquema da venda de joias e decidiu como ela será apontada no relatório final do inquérito. O ex-presidente Jair Bolsonaro e alguns aliados devem ser indiciados no caso, mas ela deve se safar. A informação é da coluna de Paulo Cappelli no Metrópoles.


Investigadores dizem “não ver as digitais” de Michelle na venda dos presentes recebidos pelo marido durante o governo. Pelo que foi apurado pela corporação, Bolsonaro sabia e permitiu as negociações, mas não há provas de que a ex-primeira-dama participou desses atos.


Em depoimento à PF, Marjorie de Freitas, ex-coordenadora do Gabinete Adjunto de Documentação Histórica da Presidência da República (GADH), afirmou que Michelle recebeu ao menos cinco joias caras que foram destinadas ao Palácio da Alvorada por “questões de segurança”.


Ela ainda relatou que nenhum persente dado por chefes de Estado a Michelle era registrado pelo GADH e que os itens encaminhados diretamente à primeira-dama eram direcionados ao Gabinete Adjunto de Gestão Interna (GAGI).


Agentes vinham aprofundando as apurações sobre o papel de Michelle no inquérito, que trata de enriquecimento ilícito e a apropriação ilegal de patrimônio público. A investigação recebeu um novo elemento recentemente, quando policiais federais viajaram aos Estados Unidos e descobriram que uma nova joia foi negociada.


A PF deve indiciar Bolsonaro e dois advogados de sua confiança, que não tiveram seus nomes revelados por investigadores, mas não há previsão de que sejam feitos pedidos de prisão no momento.


De DCM.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.


Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA