top of page

Homem que esfaqueou adolescente se entrega em delegacia de SG

O estado de saúde da vítima é grave

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Dia - Homem que esfaqueou uma jovem de 17 anos que ia em direção a um colégio em Brasilândia, em São Gonçalo, se entregou na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de São Gonçalo na tarde desta terça (22). De acordo com a mãe do homem, identificado como Marcos André Vinícius de Almeida Ribeiro, de 23 anos, ele tem problemas psicológicos como dupla personalidade.


Segundo Maria Angélica de Almeida, mãe do suspeito, ele chegou em casa nesta segunda-feira (21), dia do crime, e confessou que havia feito uma "besteira". No primeiro momento, a mulher não acreditou, mas quando soube do caso nesta terça-feira (22) resolveu levar o filho até a delegacia.


"Meu filho não é uma pessoa ruim. Ele trabalha e todo dia vende a balinha dele. Ele só tem dupla personalidade e fica nervoso, mas no dia a dia ele é tranquilo e carinhoso. Ele chegou em casa e disse 'Eu acho que fiz uma besteira mãe. Eu acho que matei a menina'. Eu não acreditei porque mãe nunca acredita. Quando foi hoje de manhã, nós vimos uma reportagem. Então eu decidi trazer ele. Eu não acho certo o que ele fez. Ele estragou a vida dele e da menina também", disse Maria.



A mãe ressaltou que não tem como provar a dupla personalidade do filho por causa da condição que a família tem. Contudo, ela garante que vizinhos sabem dos transtornos do suspeito. Segundo a família da vítima, o homem teria assediado a vítima outras vezes, inclusive com um registro de importunação sexual. Para Maria Angélica, o suspeito contou que a adolescente o esnobava e não queria ficar com ele.


"Ele tem momentos que fica revoltado. É ele querer alguma coisa e a pessoa não fizer que pronto. Tem dois meses que ele está tentando ficar com ela e ela está esnobando ele, segundo o que ele passa. Ele veio sossegadamente e nenhum momento ele reagiu. Ele veio tranquilo. Nunca vou compactuar com isso. Eu estou orando para essa menina viver", completou a mãe.


Jéssica de Oliveira, mãe da jovem esfaqueada, revelo que a filha conseguiu contar sobre o crime momentos depois do que aconteceu. A vítima conseguiu enviar uma mensagem dizendo que havia sido esfaqueada pelo homem que já tinha a perseguido em outros momentos. O estado de saúde da menina de 17 anos é grave.


"O que eu sei é o que ela me contou. Ela estava distraída e ele pegou ela por trás. A faca perfurou o pulmão. Ele deu facadas na frente ainda e, antes de sair, olhou para ela e riu. Ela me mandou uma mensagem dizendo que ele estava a atacando e a esfaqueando. Ela estava com medo de morrer porque estava toda furada e ensanguentada. Eu nem sei como vai ser quando ela sair de lá porque deve ter sido um trauma horrível", explicou.


Segundo a mãe da vítima, o agressor deixou a arma do crime no local. Acontece que, a família contou que já havia realizado um boletim de ocorrência contra o suspeito em outra oportunidade. A menina, diante dos assédio constante, chegou ir para o colégio com o avô e voltar com o tio. O tempo passou, ela voltou a andar sozinha e o crime aconteceu.


"Ele primeiro começou a pedir o número dela para conversar. Como ele é bem mais velho, ela não deu. Ele começou a segui-la quando ela estava junto com as irmãs dela ainda. Ele tentou a assediar em um momento. Pediu para ser amigos e ela falou que não. Quando eu fiz o boletim, a diretora do colégio falou que ele importunou outras alunas da escola", completou Jéssica.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA