top of page

Influenciador detido por se passar por PM vai responder em liberdade

William Rodrigues Peixoto foi autuado por ameaça e liberado em seguida; Nas redes sociais ele ainda ironizou o caso


Foto: Reprodução/Rede Social
Foto: Reprodução/Rede Social

O influenciador digital detido nesta quinta (19) por se passar por um policial militar foi liberado e ironizou o caso nas redes sociais. William Rodrigues Peixoto, de 38 anos, produz vídeos onde se passa por um agente que está trabalhando como motorista de aplicativo, no intuito de assustar os passageiros de forma previamente combinada. Ele ainda costuma usar o nome "Uber Presente", em alusão aos programas do estado de Segurança Presente.


Segundo a Polícia Civil, William foi autuado por ameaça e responderá em liberdade. O caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). De acordo com a PM, no momento em que foi detido, o influenciador estava carregando uma farda da corporação e réplicas de armas. Agentes do 23ºBPM (Maré) estavam em patrulhamento na Avenida Brigadeiro Lima, em Duque de Caxias, na Baixada, quando foram acionados por um homem que alegou ter sido ameaçado por William.

No local, os militares encontraram o suspeito e perceberam que ele estava com um fardamento da PM e outros materiais, como réplicas de fuzil e de pistola, colete à prova de balas, rádio e outros materiais.


Durante a abordagem, William se apresentou como produtor de conteúdo, no qual se passa por um agente da corporação que atua como motorista de aplicativo. Apesar disso, ele foi conduzido à 59ª DP (Caxias), para onde o material apreendido foi encaminhado. De acordo com a PM, ele já possui anotação criminal por lesão corporal.


Em contato com o DIA, William alegou que não estava vestido com a farda no momento da abordagem e apenas manuseava as réplicas das armas no interior do carro. O influenciador acredita que alguém pode ter se sentido ameaçado ao ver a situação, entrando em contato com os PMs que estavam nas proximidades.



Deboche nas redes sociais Após a repercussão do caso, o influenciador publicou dois vídeos ironizando a prisão. Nas gravações, ele aparece atrás de um portão com grades simulando a cadeia e fingindo receber ração como comida. Logo depois, ele sai e fala: "Aqui é o Peixoto, tô preso, pô!" Em outro vídeo ele ainda aparece dançando após sair de trás de outra grade. O influenciador ainda comemora o engajamento que recebeu nas redes sociais. Seu Instagram conta com mais de 480 mil seguidores.


Apesar do nome da Uber ser usado pelo motorista em suas redes sociais, sabemos que popularmente o nome da empresa é usado como sinônimo para toda a categoria de aplicativos de mobilidade, bem como sinônimo da atividade de quem utiliza os apps para gerar renda. Por isso é fundamental verificar os dados para saber se o caso tem ou não relação com o aplicativo, e para que a empresa possa verificar o que ocorreu.


No caso do motorista em questão, a empresa informa que a conta do motorista está banida da plataforma e ele não dirige mais há 4 meses pelo aplicativo.


Em nota, a Uber explicou que apesar do nome da empresa ser usado pelo motorista em suas redes sociais, "sabemos que popularmente o nome da empresa é usado como sinônimo para toda a categoria de aplicativos de mobilidade, bem como sinônimo da atividade de quem utiliza os apps para gerar renda. Por isso é fundamental verificar os dados para saber se o caso tem ou não relação com o aplicativo, e para que a empresa possa verificar o que ocorreu'. No caso do motorista em questão, a empresa informa que a conta do motorista está banida da plataforma e ele não dirige mais há 4 meses pelo aplicativo.


*Com informações O Dia


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso canal do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.