Buscar

Igrejas reabrem em São Gonçalo. O Corona agradece...

Atualizado: Jun 17

Experiências de Coreia do Sul e Alemanha escancaram medida como imprudente


Por Rodrigo Melo

Culto em igreja evangélica/Foto: Divulgação - Internet

O Decreto assinado pelo prefeito José Luiz Nanci e publicado ontem (10) no Diário Oficial do município de São Gonçalo, autorizou a reabertura do comércio já nesta quinta (11), e a volta das atividades religiosas no dia 17 de junho.


Segundo o documento, igrejas evangélicas e católicas, centros espíritas, de umbanda, candomblé, lojas maçônicas, Rosa Cruz ou qualquer outro tipo de templo, místico ou não, devem oferecer aos seus membros higienização das mãos com álcool em gel, além de garantir todas as áreas do local de realização dos ritos ventiladas. O responsável pelo local de oração, celebração ou de estudos, de acordo com o decreto, deve orientar aos frequentadores não participar das atividades se tiverem sintomas de gripe ou resfriado, e usar obrigatoriamente máscaras faciais mantendo distanciamento social mínimo de 1 metro entre as pessoas. 


A orientação sanitária mundial é de pelo menos 1,5 metro.


Tá na cara que isso não vai dar certo.


Em março, ainda no início da pandemia, ficaram famosos os casos de infecção ocorridos nos templos evangélicos da Coréia do Sul, que se transformaram em verdadeiros centros de transmissão do novo coronavírus (SarsCov2) no país asiático.


À época, Lee Man-hee, fundador e líder da “Igreja Shincheonji”, uma seita de Seul, chegou a ser acusado de homicídio pelo governo coreano, após esconder cerca de 3.730 casos de infecção da Covid-19.


Man-hee, que para seus liderados é o descendente dos reis antigos que governaram a Coreia séculos atrás, “o anjo” que Jesus enviou para a humanidade, aconselhava os membros da seita a não procurarem ajuda médica, o que resultou em uma contaminação que correspondeu à quase metade dos casos em todo o país.


Mas não foi só entre "seitas" fanáticas fundamentalistas que as reuniões religiosas deram ruim.


Mais de 40 pessoas foram infectadas com coronavírus em apenas um culto numa igreja Batista de Frankfurt, Alemanha, realizado após medidas de flexibilização de isolamento social serem tomadas naquele país em 1 de maio. Autoridades de saúde informaram os casos no dia 25 do mesmo mês.


A Alemanha é considerada um case de sucesso no combate à pandemia do Coronavírus no mundo por ter conseguido fazer quarentena rígida e testar em massa a população, obtendo, assim, o "achatamento da curva", derrubando o número de novos casos de infecção e mortes pela doença.


O Pastor batista Wladimir Pritzkau, responsável pela igreja, segundo relata o jornal Deutsche Welle, afirmou que o templo seguiu as regras de higiene e que os fiéis respeitaram a distância de 1,5 metro, mas todas essas precauções não foram suficientes para evitar contágio do patógeno.


Após o episódio, a comunidade batista de Frankfurt suspendeu todos os eventos religiosos, e os cultos voltaram a ser transmitidos digitalmente, como vinha sendo feito antes das restrições terem sido relaxadas no início de maio.


Voltemos para São Gonçalo.


Foi divulgada na noite de ontem mais uma atualização do boletim Covid-19 no município. E a pandemia não cede, embora dê mostras de estabilização no número de casos, o que poderia indicar uma tendência de queda da transmissão do vírus e de morte pela doença.


Mesmo com subnotificação gritante, já são 2.620 casos confirmados, com 258 óbitos. Uma das taxas de letalidade mais altas do país: 9,8%.


A média nacional é de 5,1%. No estado do Rio, de 9,6%.


No gráfico abaixo, fornecido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), vê-se a evolução dos casos, tanto da Covid-19, quanto da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) na cidade, que pode vir a engrossar a estatística do SarsCov2 nos dados consolidados de registro da doença num segundo momento.


Há claramente estabilização dos casos, resultado das medidas sanitárias tomadas pelo governo Nanci, que privilegiou o isolamento social, ainda que de modo frouxo, até o "libera geral" de ontem, que pode anular todos os esforços da quarentena.


Ou seja, o que se preparava para cair, pode ter ganhado impulso para subir.


É nesse quadro que as igrejas vão reabrir. Aleluia, irmão!


E o Corona agradece.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon