Buscar

'Libera geral' cobra preço e risco de contágio da Covid-19 aumenta


O noticiário desta terça (23), tá deveras leve. Pelo menos até aqui, às 14:55 horas.


Porém, como já adiantado ontem nesse Rolé, preocupa o atraso de salários dos profissionais da saúde que trabalham no Hospital Estadual Alberto Torres (Plantão Enfoco), que além de sua especialidade em trauma, também é utilizado para tratamento da Covid-19 nos seus leitos de UTI e CTI.


A unidade hospitalar é administrada pela Organização Social (OS) Instituto dos Lagos Rio que alega não ter quitado os salários de maio dos profissionais por falta de repasse do governo estadual.


O descalabro com a saúde de cariocas e fluminenses se aprofunda, justo no momento em que o risco de contágio por covid-19 no Rio volta a crescer (O Fluminense), de acordo com o monitoramento do Covidímetro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), após desaceleração observada na semana passada. O 'libera geral' já cobrando o seu preço.


E por falar em libera geral, Niterói reabriu ontem parques, igrejas e lojas de rua (Daki), no que a equipe do prefeito Rodrigo Neves chama de 'novo normal'.


A Cidade Sorriso implantou um Plano de Transição Gradual sentado em cima de um cofre cheio de dinheiro dos royalties do petróleo, que a possibilita resistir às pressões politicas e econômicas de reabertura do comércio. Maricá tem a mesmíssima e privilegiada situação.


As duas cidades criaram colchões financeiros que beneficiaram tanto trabalhadores, quanto empresários, para os ajudarem na travessia até a outra margem do rio tormentoso da pandemia do SarsCov2.


Situação, por sua vez, oposta a de São Gonçalo, que caminha à deriva rumo à catástrofe que se avizinha, levando em consideração o decreto de abertura de 10 de junho publicado pela Prefeitura e o período de incubação do coronavírus de 14 dias.


Ai de ti, São Gonçalo! Ai de ti! [Apud Rodrigo Santos]


Finalizando o Rolé, deixamos o desabafo de Rafaela Matos, mãe do menino João Pedro, que faria 15 anos hoje caso não fosse assassinado, dentro de casa, pela Polícia (A Tribuna):

“Hoje você completaria 15 anos, infelizmente seus sonhos foram interrompidos. Peço à Deus que continue nos dando forças, pois a cada dia, a cada data comemorativa a dor só aumenta e a sua ausência nos faz muito mal. Agradeço à Deus pelo privilégio de ter sido escolhida para ser a sua mãe, aquela que cuidou e amou até aonde foi permitido. Agradeço à todos que tem nos ajudado nesse momento tão difícil, não tenho palavras, que Deus abençoe todos vocês. João Pedro para sempre em nossos corações. Te amooooooo”.

Um trabalho de reconstituição, que seria realizado pela Polícia Civil no Complexo do Salgueiro, foi cancelado pelo fato da Justiça proibir operações policiais em comunidades do estado enquanto estiverem vigentes as medidas de restrição e isolamento.


Boletim Covid-19 atualizado segundo dados consolidados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro em 22 de junho.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon