top of page

Capitão Nelson dá o golpe final nos servidores de São Gonçalo

Mensagem que será avaliada nesta terça (13) pela Câmara de Vereadores revoga Estatuto do Servidor


Por Rodrigo Melo

Nelson/Reprodução Internet
Nelson/Reprodução Internet

"Com o servidor, o capitão é mau. Pega um, pega geral".


A frase bem humorada, gritada por torcedores de futebol nos estádios para exaltar os carrascos goleadores, foi adaptada por um servidor da prefeitura de São Gonçalo, num misto de medo e perplexidade, ao saber que o prefeito capitão Nelson Ruas (PL), enviou para Câmara de Vereadores proposta de um novo regime jurídico dos servidores que revoga todas as gratificações e que, na prática, diminui o valor do salário pago ao funcionalismo municipal.


A Mensagem Executiva, apelidada de "pacote de maldades do capitão", será analisada e votada no início da noite desta terça (13), e deve passar com folga numa casa legislativa majoritariamente governista.


Mas os servidores prometem vender caro a derrota, mais uma, desde que Nelson assumiu, em 2021. Trabalhadores se organizam para comparecer em massa à Câmara e protestar contra a proposta que, em alguns casos, gerará perdas de até 75% do salário. Uma grande manifestação está sendo organizada pelo sindicato da categoria (Sindspef), grupos independentes e de oposição ao governo.



"O Sindspef vem a público expressar seu repúdio ao projeto de lei que revoga o Estatuto dos Servidores Públicos Efetivos de São Gonçalo. Entre artigos com visível inconstitucionalidade e proposta de redução salarial, o projeto de lei é absurdo e maldoso em vários aspectos", disse o sindicato, que convocou os servidores para acompanhar a votação e protestar contra "esse desmonte proposto". A sessão começa às 17h.


O deputado federal eleito, Dimas Gadelha (PT), mostrou solidariedade com a luta dos servidores que, mais uma vez, no "apagar das luzes", têm seus direitos retirados por capitão Nelson:


"Não podemos nos calar diante desta maldade contra servidores e suas famílias. Esperamos que a Câmara de Vereadores não se acovarde novamente diante de tamanha injustiça. Vamos lutar até o fim para que trabalhadores possam ter seus direitos conquistados assegurados. Vamos todos juntos, amanhã (hoje), dia 13 de dezembro, para Câmara de Vereadores dizer NÃO ao Pacote de Maldades, Covardia e Injustiça deste governo autoritário e desumano, que não respeita os trabalhadores", convocou, Dimas, que por mais de 20 anos foi médico efetivo do município e disputou a prefeitura contra Nelson Ruas em 2020, tendo como principal bandeira a valorização do funcionalismo público.



Em 14 de dezembro do ano passado os professores do município tiveram o seu festejado Plano de Carreiras, em vigor há mais de 20 anos, extinto pelo governo Nelson, suprimindo uma série de direitos e benefícios.


Em julho do mesmo ano (2021), o governo também mexeu no regime de previdência dos servidores, aumentando a alíquota de de 11% para 14% do salário, além de aumentar idade e tempo de contribuição para pleitear o direito à aposentadoria.


Agora, a prefeitura busca revogar a Lei 050/91 e criar outras diretrizes funcionais, trabalhistas e salariais dentro de um novo regime jurídico, que impactará tanto a quem ingressar via concurso, temporários, quanto aos que já atuam no serviço público municipal como funcionários efetivos concursados.


Sabe o servidor da frase, do início da matéria? Ele finaliza:


"O que piora é que além de votar, ainda fiz campanha pra esse cara...."

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA