top of page

Nossa "Receita de Ano Novo"

Por Coletivo ELA


Foto: Reprodução internet
Foto: Reprodução internet

Se é dentro de nós, adormecido, que mora o Ano Novo, como poetizou Drummond em sua “Receita de Ano Novo”, nosso maior desejo é manter desperto em cada pessoa, além das palavras, a disposição para continuar e, depois de um ano tão intenso, ter em 2023 o povo unido em torno de uma causa, a educação pública democrática.


Esse grupo de autoras e autores membros do Coletivo ELA, todos pesquisadores da educação, que ao longo de 2022, contribuíram com o Jornal Daki através da coluna Daki da Educação, reuniu neste artigo seus sonhos e desejos para o novo ciclo que inicia no próximo dia 1° de janeiro.

Será necessário superar as diferenças ideológicas e dialogar com profundo interesse no futuro, buscando uma política inclusiva capaz de fomentar, na sociedade, expectativas e engajamento por um Plano Nacional da Educação com discussão social, que envolva todos nós brasileiros, independente do credo, da etnia, do poder econômico. Um Plano que promova a política inclusiva que garanta os direitos e promova a igualdade, equidade e emancipação, assim como, combate a LGBTfobia e o racismo.


O Estado brasileiro, sabemos, está fragilizado por políticas pensadas por e pelos interesses de uma parcela privilegiada da população, esquecendo as reais necessidades do povo brasileiro. E, a partir do novo ano, que o povo possa superar as diferenças ideológicas e dialogar com profundo interesse no futuro. Um projeto de nação forte torna-se irrealizável sem um projeto nacional de educação que se torne um bem comum, inalienável, livre dos caprichos de qualquer governo.



Para o novo governo, que consigamos o resgate da justiça e da empatia. Nossa! Como andou adormecida a empatia…Que com a sua chegada, ocorram mudanças que impactem na vida diária da população, como a anulação das reformas da previdência, trabalhista e do Ensino Médio. Um Fórum Brasileiro de Segurança Pública que enxergue a importância da educação adequada à população, que assim possa conhecer seus direitos ou saber como interpretá-los. Para tanto, a manutenção dos direitos conquistados, ampliando a valorização, para termos profissionais qualificados e comprometidos.


E que muitos outros grupos tenham a oportunidade de vivenciar o que nos uniu nesta coluna, para que sejam também fortalecidos em seus ideais.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Participam desse grupo Graciane Volotão, Aldaléa Figueiredo dos Santos, Hélida Gmeiner, Alba Nascimento, Edir Tereza dos Reis, Sirley Teresa dos Reis entre outras e outros…





POLÍTICA