top of page

Aloisio, Uma Alma Rara - por Paulinho Freitas

SÃO GONÇALO DE AFETOS

Aloisio,  Uma Alma Rara
Aloisio, Uma Alma Rara

Por curiosidade, há um tempo, pus meu endereço no Google Maps para ver a imagem que iria aparecer. Qual não foi a minha surpresa ao ver a foto da minha rua e no meio dela o Aloisio. Ele e aquele sorriso de simpatia que obriga a todos a sua volta retribuir com um simpático sorriso também.


Aloisio é o tipo de pessoa que não exterioriza problema, ele parece ser a solução. É só chegar perto dele e logo sai uma piada, uma história engraçada onde ele consegue rir mais do que o próprio ouvinte, apesar de contar a mesma história várias vezes ao dia, às vezes repetindo-a a mesma pessoa. Esse personagem é querido em todos os lugares onde passa.


Acho que ele nunca imaginou que sua imagem estava lá para o universo inteiro ver. Sua grave e macia voz vai aveludando o dia das pessoas, fazendo-as pisar no freio e ter um pouco mais de paciência e cautela nas esquinas da existência.


Tenho a certeza de que muita gente já bebeu naquela fonte de energia positiva e deixou de fazer alguma bobagem depois de conversar com ele.


Sem querer ser e sem saber que é, Aloísio vai psicologizando no seu divã de simpatia, amor ao próximo, desapego da matéria e fazendo as pessoas terem um caminho mais fresco, mais ventoso, mais feliz.


Claro que ele deve ter também um montão de problemas, umas tristezas escondidas no peito, uma dorzinha aqui ou ali, mas o remédio é sorrir, viver e amar viver, tentar a todo custo passar boas vibrações a todo mundo. Este é seu alimento, esta é sua água, este é o motivo que o faz caminhar todas as manhãs, que o faz sentar no bar à noite e naquela resenha ser aquele que faz o estresse dos amigos que chegam do trabalho com fogo nos olhos passar lá para beber uma cerveja, ouvir suas histórias e sair com um sorriso nos lábios para presentear a família na hora do jantar.


Precisamos desopilar a mente dos maus pensamentos, mandar às favas um monte de pequenos problemas que se vestem de monstros e assombram nossos dias, precisamos sorrir mais, contarmos mais historias, fazermos as pessoas que nos cercam receberem e devolverem um belo e simpático sorriso sem nada esperar além disso.


Que tenhamos mais Aloisios por aí. A cada encontro um abraço, a cada despedida um sorriso, até marejar o olhar. Todo mundo precisa disso.


A foto do Google Maps não está mais lá, mas o sorriso está em você que está lendo agora, em sua boca, adormecido, esperando uma chance de ser liberto por você para abrir o cadeado de outras bocas libertando outros sorrisos, abraços, boas energias e um olhar luminoso e feliz.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Paulinho Freitas é sambista, compositor e escritor.




POLÍTICA