top of page

Gato da luz alheia - por Paulinho Freitas

SÃO GONÇALO DE AFETOS

Jaiminho representava bem a turma de Ludogero Brasil/Arte sobre foto de Michel Filho / Agência O Globo
Jaiminho representava bem a turma de Ludogero Brasil/Arte sobre foto de Michel Filho / Agência O Globo

Ludogero Brasil é um cara legal? É! Trabalha duro, corre atrás do prejuízo. Não tem intenção maldosa com ninguém. Mas desde criança tem a terrível mania de pegar onda na prancha do alheio. Sempre quer brilhar no reflexo de alguém.


Nas festinhas de aniversário dos amiguinhos ele sempre dava um jeito de ficar próximo ao bolo e na hora de cantar o “parabéns pra você”, se o aniversariante vacilasse quem apagava as velinhas era ele.


Na adolescência fazia parte do grupo de jovens da igreja. Não tocava nada, não cantava nada, mas vivia com o violão dependurado nas costas. Quando o grupo de músicos da igreja se apresentava nas festas do padroeiro ou em outras paróquias ele sempre estava no palco. Se alguém se distraísse ele já pegava o microfone, e fazendo caras e bocas, fingia cantar para impressionar as meninas.


Ludogero Brasil cresceu assim, perto do sucesso dos outros sem nunca ter alcançado o seu. No álbum de fotografias dos velhos amigos sua foto é mais presente do que a de muitos familiares.



Este ano, no campeonato de veteranos no campo do Saíra, o time do cunhado de Ludogero Brasil sagrou-se campeão. Você caro (a) leitor(a) já deve imaginar o que este nosso querido personagem fez. Subiu ao pódio junto com os jogadores, tomou a taça de campeão e a medalha de melhor jogador em campo do cunhado e figurou na primeira página esportiva do Jornal da cidade.


A última dele aconteceu no casamento de um amigo nosso na semana passada. Ele está em todas as fotos do álbum, até na hora em que o padre benze as alianças para os noivos fazerem seus votos ele está ao lado do padre. Quando os noivos fizeram aquela retirada estratégica para fazerem a tradicional foto no Campo de São Bento já encontraram Ludogero Brasil dentro do carro aguardando para fazer a segurança do casal. Fez até pose segurando o vestido da noiva.


Os noivos só conseguiram se livrar dele quando saíram da festa para a lua de mel. Assim mesmo Ludogero Brasil os levou até o carro, os abraçou efusivamente e voltou para a festa comentando, em tom de segredo, que foi convidado pelo casal para ser o padrinho do primeiro filho deles. Ludogero Brasil não toma jeito.


Ludogero Brasil chorou ao ouvir o samba do GRESU Porto da Pedra que desfilará representando São Gonçalo na maior opera a céu aberto do mundo com o enredo A invenção da Amazônia, do carnavalesco Mauro Quintaes e já comprou um terno branco para tentar entrar na avenida na frente da escola fazendo o papel de mestre de cerimônias apresentando a escola ao público.


Sei não Ludogero, sai dessa porque aí você se lasca. A estrela principal aí é o Tigre mané!


Garanto que você conhece um Ludogero Brasil, ah se conhece!

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Paulinho Freitas é sambista, compositor e escritor.




POLÍTICA