top of page

Lula cumpre promessa e acaba com o infame PPI da Petrobras

Por Helcio Albano

Foto: Ricardo Stuckert
Foto: Ricardo Stuckert

Alvíssaras! A Petrobras anunciou hoje o fim da política de Paridade de Preços de Importação (PPI) que roubou na cara dura a riqueza nacional por longuíssimos 6 anos desde a ascensão de Temer e quadrilha ao poder. Afinal, roubar as riquezas do Pré-sal e distribuir em dividendos o espólio da guerra híbrida contra o Brasil entre os acionistas estrangeiros sempre foi o motivo do golpe em Dilma Rousseff, apeada da presidência naquele fatídico e infame 2016:


"Pela memória do coronel Carlos Brilhante Ustra! O terror de Dilma Rousseff!"

Jamais esqueceremos, meus amigos. Jamais esqueceremos...


A política de dolarização dos preços de combustíveis e relações de produção praticada pela Petrobras - controlada nos últimos anos por legítimos vendilhões da pátria a serviço do imperialismo estadunidense - foi a principal vilã da explosão inflacionária que atingiu alimentos e corroeu a renda do trabalhador com ganhos de até 3 salários mínimos. Ou seja, 80% da população brasileira.



E a raiva aumenta ainda mais quando sabemos que os mais de R$ 350 bilhões distribuídos no período em dividendos a acionistas (maioria de fundos de pensão estrangeiros) daria pra construir 40 linhas 3 do metrô, 20 Comperjes ou 25 plataformas e navios, que dariam milhares e milhares de empregos diretos e indiretos de ótima remuneração, principalmente no Rio de Janeiro, se a política de produção local não tivesse sido desmontada.


Lula prometeu e fez. Foi pra isso que fiz o L. Mas não tem nada garantido. Orai e vigiai. Porque o mal continua à espreita.


A retomada da Petrobras não está totalmente completa.


Siga @helcioalbano


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Helcio Albano é jornalista e editor-chefe do Jornal Daki.


POLÍTICA