top of page

Padaria Escola iniciou aulas nesta segunda (30)

São Gonçalo oferece capacitação a moradores cadastrados em programas sociais

Foto: Lucas Alvarenga
Foto: Lucas Alvarenga

Teve início, na manhã desta segunda-feira (30), no Cras de Vista Alegre, a nova fase do curso de panificação da Padaria Escola. A capacitação, que era oferecida desde 2004 e encerrou as atividades em 2014, passou por uma reformulação para retomar as aulas. O prefeito Capitão Nelson visa, com a medida, minimizar os impactos socioeconômicos enfrentados por São Gonçalo neste período pandêmico.

A Prefeitura de São Gonçalo, por meio da Secretaria de Assistência Social, através da Subsecretaria de Proteção Social Básica, em parceria com o Programa Nacional de Promoção ao Acesso ao Mundo do Trabalho (Acessuas), do Governo Federal, traz de volta a proposta de qualificação profissional para facilitar a entrada no mercado de trabalho e a geração de emprego e renda. A padaria escola terá capacidade para formar 60 novos profissionais da área a cada três meses. A produção irá abastecer as instituições de acolhimento infantil do município.

"Essa é uma grande rede de serviços. A Assistência Social funciona como uma porta de entrada, em parceria com Acessuas. É de extrema importância essa integração de outras secretarias para que essas pessoas possam, de fato, ser inseridas na sociedade”, disse o secretário de Assistência Social, Edinaldo Basílio, que está em sintonia e já conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

"A profissionalização das pessoas é uma das saídas para a retomada econômica. Com a economia voltando a se desenvolver neste final de ano, novos postos de trabalhos serão abertos e aqueles que estiverem qualificados sairão na frente. E, junto a isso, estaremos dando apoio para os que quiserem empreender por conta própria, com a parte de legalização, estruturação do negócio e, quem sabe, até mesmo uma cooperativa", destacou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcio Picanço. A aula inaugural foi comandada pelo professor Cláudio Márcio da Silva Marinho, que hoje se reencontrou com o ambiente que se sente mais à vontade: na padaria junto aos alunos. "Me sinto muito feliz por esse reencontro com os alunos e espero que eles venham com bastante garra. Estou aqui para compartilhar experiência e tenho certeza que a troca será muito produtiva", disse.

Na primeira turma não faltou expectativa para os futuros padeiros de São Gonçalo. "Estou desempregado e contando com esse curso para tentar uma recolocação, um emprego de carteira assinada", disse Fabiano Machado Pereira, de 41 anos e morador de Vista Alegre, que mesmo sem nenhuma experiência na área espera trabalhar no setor em um futuro próximo. Já Carlos Henrique, de 51 anos, que trabalhava como segurança em uma escola particular e se viu sem emprego com a chegada da pandemia, também espera um novo trabalho com o curso. "Não tenho nenhuma experiência e como estou desempregado por conta dessa pandemia quero uma recolocação. Acredito que os primeiros dias serão muito desafiadores", destacou.


POLÍTICA