top of page

Por essas e outras? por Rubenir Pedro Ru


Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Olá, leitores e leitoras do Jornal Daki. Bom dia, boa tarde, boa noite! Dezembro começou. Chegou tão rápido, e estamos à vinte dias do Natal, data em que relembramos o nascimento de Jesus, o Cristo.

Momento de amor, fraternidade e paz!

Que paz, qual amor, o quê é fraternidade?!

As imagens que vemos no dia a dia, estão longe de serem o reflexo do que Jesus ensinou.

A música, poesia dessa semana é “Por essas e outras”

Há hoje em mim uma saudade da juventude, e do meu tempo de criança.

Acredito que todos nós temos esse sentimento, quando começamos a passar dos cinquenta anos.

Não porque o tempo era menos turbulento.

Todo tempo tem suas mazelas, e muitas vezes são passadas despercebidas.

Mas, hoje com as novas tecnologias de comunicação, nos parece, mais assombrosos, terrivelmente sem retorno, tristemente indo para um final dos tempos.

E aí vem aquela sensação em que a saudade se torna um sentimento corriqueiro.

A esperança de um futuro promissor, quase se apaga. A força, e a inquietude da juventude é vazia.

A preocupação com os nossos descendentes, (filhas, netos e neta) dá nó na garganta.

Nessa música que é um desabafo, e por sinal inédita, trago a minha saudade e o assombro de ver que o Natal,  já não tem o mesmo “sabor” de esperança, fraternidade, amor e paz, que tanto nos animava e enchia de alegria.

Até quando a humanidade irá aguentar? Até quando iremos assistir, vidas inocentes,  serem ceifadas em rede nacional e redes sociais?

Tristeza demais!!!



                         

Por essas e outras?


O mundo em guerra

Posições diversas

Invasão de terras,

Presidentes às avessas!

 

Falsas promessas

Abusos dos poderes

Falta conversa.

Matança dos seres!

 

É por essas e outras

Que a gente revê

Banquetes e ostras,

e fama na tv. Fama na tv!

 

Petróleo jorrando

Capitalismo selvagem

O povo chorando

A Meta é vantagem

Exploração do povo

 

Interesses pessoais

Só prioridade!

Sem pautas sociais,

Votam maldades

Cruéis e perseguições!

 

Carrões a vontade,

Iates e mansões

Fora da realidade

Vivem muitas nações!

 

A custo de sangue

De pessoas inocentes.

São grupos de gangues,

Que aterroriza a gente!

 

É por essas e outras

Que a gente revê

Banquetes de ostras

E falas na TV.


Rubenir Pedro Ru (2023)



Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI

Entre no nosso canal do Telegram AQUI

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


Rubenir Rocha – Pedro Ru é Poeta Musical e membro do Coletivo ELA – Educação Liberdade para Aprender / Facebook e Instagram: Rubenir Pedro Ru. Programa Clarins do Povo – https://www.facebook.com/rubenir.pedroru