top of page

Governo Lula: Combate contra garimpo ilegal cresce 70%

O aumento observado pelo levantamento possui relação direta com a atual gestão empregada


Lula posa em foto ao lado de descendentes indígenas. (Foto: Reprodução)
Lula posa em foto ao lado de descendentes indígenas. (Foto: Reprodução)

DCM - O número de autuações contra garimpos ilegais cresceu 70% desde o início do terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na comparação com o mesmo período do ano passado. Com informações da Folha de S.Paulo.


Foram 121 autuações no governo do petista contra 71 no primeiro quadrimestre de 2022, ainda durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). O aumento é ainda maior na comparação com igual intervalo de 2021, cerca de 188%.


Os dados foram obtidos após levantamento realizado pelo escritório Rosenthal Advogados Associados com base em informações colhidas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Os dados se referem à exploração ilegal de ouro, diamante e cassiterista em garimpos clandestinos espalhados pelo território amazônico



O aumento observado pelo levantamento possui relação direta com a atual gestão empregada por Lula. Desde que assumiu, o petista se demonstrou extremamente preocupado com as questões que envolvem o garimpo ilegal na região amazônica e a situação calamitosa na qual os povos Yanomami se encontravam. Ações totalmente diferentes das empregadas por Jair Bolsonaro, defensor declarado do garimpo, que afrouxou o controle da região e sancionou políticas que proporcionaram um cenário mais propício à realização da prática ilegal.

Outra medida que deve ajudar no combate ao garimpo ilegal é o fim da presunção de boa-fé na origem do ouro, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso canal do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.





POLÍTICA