Jalmir Junior 'cai pra cima' e assume cadeira na Alerj

Prefeito Nelson Ruas se livra de uma "saia justa" por não ter que demiti-lo do cargo de liderança do governo


Por Rodrigo Melo

Jalmir na Tribuna/Foto: Reprodução Facebook
Jalmir na Tribuna/Foto: Reprodução Facebook

O vereador Jalmir Júnior (PRTB) obteve ontem (09) de seus pares na Câmara licença e autorização formal para assumir o mandato de suplência como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).


O parlamentar gonçalense assume no lugar do titular da cadeira, deputado estadual Léo Vieira, eleito pelo PRTB em 2018 e atualmente no PSC, nomeado secretário de Trabalho e Renda após reforma do secretariado promovida pelo governador Cláudio Castro (PL) no início de junho, dias depois de ser efetivado no cargo após confirmação do impeachment do agora ex-governador Wilson Witzel (PSC). A posse de Jalmir está prevista para próxima segunda-feira (14).


Próximo do ex-vereador Dejorge Patrício (Rep) e "dono" de 18.707 votos nas eleições de 2018 que o levaram à primeira suplência do seu partido, Jalmir, em seu segundo mandato, deixa a Câmara e a liderança do governo Nelson Ruas (PL) em meio a polêmicas e acusações de truculência por parte dos vereadores da oposição. Os embates duros do então líder com o Prof. Josemar (PSOL) são um capítulo à parte e relevante do início dessa legislatura.


A saída do parlamentar da liderança do governo ficou selada, segundo membros da própria base governista, no episódio da votação do PL 06/21, da vereadora Priscilla Canedo (PT), em abril, de inclusão de professores e guardas municipais no grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19. Indignado com a inclinação dos colegas da base em aprovar o projeto, Jalmir quase chegou às vias de fato com seu correligionário de partido, Felipe Guarany.


Informações de bastidores dão conta que a ida de Jalmir para a Alerj tira o governo Nelson de uma "saia justa" por não ter mais que demiti-lo do cargo de líder, evitando, assim, um desgaste político que subiria alguns degraus até o Palácio Laranjeiras. É o famoso "caiu pra cima", já que como deputado suplente Jalmir terá pouca ou nenhuma autonomia parlamentar, nem mesmo para montar o próprio gabinete.


Em seu discurso ontem na Tribuna, Jalmir lembrou dos embates que teve em plenário que serviram, segundo afirmou, "para fortalecer meu senso democrático":


"Quero agradecer também a todos os meus colegas aqui nessa Casa, que ensinaram-me lições valiosas que levarei não somente para ALERJ, mas também, para toda vida. As convergências e divergências de opiniões que tive aqui nesse plenário com os colegas que pensam como eu e com os que discordam de mim, serviram para fortalecer meu senso democrático e contribuíram de maneira relevante para meu amadurecimento político e pessoal. Sou e serei eternamente grato a todos por isso”, disse Jalmir.


Dentre os afagos que o "cria do Boaçu" recebeu ontem no Plenário da Câmara, o mais significativo partiu do "cria do Gradim" e oposicionista Romario Regis (PCdoB), registrado em seu Facebook:


"Apesar das divergências políticas, desejo todo sucesso para Vereador Jalmir Júnior que vai assumir o mandato de Deputado Estadual. São Gonçalo tem um número enorme de eleitores e pouca representação na ALERJ. Ter mais gonçalenses nesses espaços é super importante. Jalmir continuará tendo posições diferentes da minha em vários temas, mas tenho certeza que a pauta São Gonçalo será prioridade em sua passagem na casa legislativa estadual. Sucesso na jornada Jalmir. Torço por você, pela sua saúde, pela sua vida e espero que seja um grande aprendizado".

Em tempo: a nova liderança do governo deve ser anunciada na próxima semana. Os vereadores Alexandre Gomes (PV), Cici Maldonado (PL) e Felipe Guarany (PRTB) estão cotados. E quem assumirá a vaga de Jalmir é o suplente Alex Loreti (PRTB), que obteve 1.315 votos nas eleições de 2020.


Atualizado às 17h.


MALUGA_2.jpg