top of page

Atentado fake flopa e bolsonaristas passam vergonha

Por Helcio Albano

Tarcísio fazendo o seu papel no teatro/Foto: Reprodução
Tarcísio fazendo o seu papel no teatro/Foto: Reprodução

Causou frenesi nas hostes do bozoquistão do oeste um suposto atentado contra o candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Rep). A lorota, sustentada pela central de fake news Jovem Pan no início da tarde desta segunda (17), foi logo desmentida pela Secretaria de Segurança do estado.


A forçação de barra tava tão gritante, que o responsável pela pasta, general João Camilo, precisou vir a público e intervir para cessar a boataria.


O carioca Tarcísio de Freitas, acusado de fazer "turismo eleitoral" em São Paulo, é o representante do Partido Militar no estado com apoio do Bozo. O candidato fazia agenda de campanha na favela de Paraisópolis quando, segundo a Polícia, ocorreu um tiroteio nas proximidades onde estavam Freitas e correligionários.



Os pipocos, tão familiares a cariocas e fluminenses, foram logo tratados pela Jovem Pan e apoiadores do bozo nas redes sociais como atentado à comitiva do candidato, e, ato contínuo, transformado em arma eleitoral contra Lula (PT), que na semana passada visitou o Complexo do Alemão.


O caso, assim que noticiado, "subiu" com hastag pronta pelos apoiadores e até nota oficial à imprensa minutos depois do incidente. Junto à notícia, vários perfis postaram um vídeo do general véio gagá Augusto Heleno numa reunião com o próprio Tarcísio "revelando" haver um plano para matá-lo, por isso a sua desistência de participar dos debates antes das eleições. Picaretas!


A armação ficou tão nonsense que abortaram a missão. Esses caras são perigosos.


Siga @helcioalbano.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

Helcio Albano é jornalista e editor-chefe do Jornal Daki.


POLÍTICA

KOTIDIANO