top of page

Deputado Dimas Gadelha vistoria hospitais federais e se depara com unidades sucateadas

Parlamentar, membro da Comissão de Saúde da Câmara, irá fechar relatório apontando medidas imediatas a serem tomadas para revitalizar a rede federal no Rio


Por Cláudio Figueiras

Dimas visitou hospitais neste final de semana/Foto: Reprodução Instagram
Dimas visitou hospitais neste final de semana/Foto: Reprodução Instagram

A rede de hospitais federais do Rio é a maior do Brasil e conta com seis unidades de atendimento de alta complexidade sucateadas, com leitos fechados e com déficit de profissionais, desde médicos, enfermeiros a funcionários de apoio administrativo. Mas aos poucos os problemas podem e estão sendo superados.


Esse foi o diagnóstico dado pelo médico e deputado federal Dimas Gadelha (PT), membro da Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados, depois de vistoria oficial realizada nos hospitais dos Servidores (Zona Portuária), de Bonsucesso, Cardoso Fontes (Jacarepaguá), de Ipanema e da Lagoa (Jardim Botânico) neste final de semana.


"Encontramos um cenário de terror. É um absurdo o estado de abandono que deixaram estes hospitais nos últimos anos, uma verdadeira herança maldita. O governo vai ter que trabalhar muito, dia após dia para devolver esses serviços com qualidade para a população. Faltam médicos, profissionais, equipamentos, protocolos, rotinas. Enfim, a ação e os investimentos nestes serviços devem ser prioridade imediata pois quem tá pagando a conta deste descaso que vem acontecendo nestes últimos anos é a população", disse Dimas.



O parlamentar, que acompanha de perto os esforços do Ministério da Saúde na recuperação da rede federal do Rio, que atende moradores de diversas regiões de dentro e de fora do estado, diante de tanto descalabro, comemora, porém, a reabertura nos últimos três meses de 305 dos 593 leitos fechados, ou seja, mais da metade dos equipamentos antes ociosos.


"Os desafios são enormes, mas vamos colocar de pé novamente esses hospitais, fundamentais na eliminação dos gargalos de atendimento de alta complexidade à população pelo SUS. Isso é prioridade do governo Lula, e aqui no Rio, em apenas três meses, provamos que é possível solucionar os problemas unindo boa vontade e competência sob a liderança da ministra Nisia (Trindade)", observou o deputado.



O balanço que aponta redução pela metade do número de leitos fechados foi divulgado pelo Ministério na sexta (14.abr.23) através do diretor do Departamento de Gestão Hospitalar (DGH) no Estado do Rio, Alexandre Telles, na cerimônia de posse dos novos gestores dos hospitais no Rio.


Sobre a Comissão, o deputado afirmou que será fechado um relatório apontando as falhas da rede e as providências imediatas a serem tomadas:


"A comissão vai fechar o relatório, apontar as falhas e encaminhar para o Ministério da Saúde e demais órgãos competentes as medidas a serem tomadas. E que, também, possa ser apresentado um cronograma de ação imediata como reposição de profissionais e a execução de obras para que mais leitos sejam disponibilizados e esses serviços que estão há anos abandonados sejam devolvidos à população", finalizou o deputado.


Dentre os serviços e especialidades oferecidas pelo hospitais federais do Rio estão cirurgias complexas, como neuro, vascular e bariátrica, ortopedia e traumatologia, oftalmologia, urologia, ginecologia e tratamento de câncer.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.


POLÍTICA