Buscar

Covid-19: Maricá reabre comércio a partir de quinta-feira, 4


Cidade estará oficialmente sob bandeira amarela nível I, com restrições mais brandas de quarentena

Foto: Divulgação

Em transmissão pelas redes sociais realizada nesta terça-feira (02/06), o prefeito Fabiano Horta anunciou a retomada gradual das atividades econômicas em Maricá, a partir da próxima quinta-feira (04/06). De acordo com o decreto contendo o novo conjunto de regras a serem observadas, a cidade passa a seguir um sistema de classificação de risco por bandeiras, cujas cores indicam o grau de restrições à circulação de pessoas e ao funcionamento do comércio. O decreto foi publicado nesta terça-feira na edição especial 273 do Jornal Oficial do Município (JOM) e está disponível no portal da prefeitura.


A partir da próxima quinta-feira (04/06), a cidade estará oficialmente sob a bandeira amarela nível I, que representa um patamar de restrições mais brandas ao funcionamento do comércio – há ainda a amarela nível II, última antes da azul  (volta à normalidade), a laranja (nível maior de restrição) e vermelha (lockdown, o nível mais severo).


Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Maricá, Igor Sardinha, a adoção da bandeira amarela não significa relaxamento no combate à pandemia de Covid-19. “Há regras que não mudaram, como o uso de máscaras, de álcool gel e do distanciamento dentro da loja. Além disso, a divisão dos setores da economia por horários de funcionamento contribui para uma menor circulação de pessoas nas ruas, um menor uso do transporte público, reduzindo a chance de transmissão da doença”, defendeu Sardinha.


Com a adoção da bandeira amarela nível I, ficam autorizados a funcionar de maneira plena supermercados, farmácias, hospitais e laboratórios para serviços de urgência, bancos e casas lotéricas, lojas de conveniência, mercados, açougues, aviários, hortifrútis, lojas de ração animal e estacionamentos.


Outros setores do comércio poderão funcionar apenas em horários determinados:


– Comércio varejista em geral (exemplos: lojas de vestuário e de calçados, óticas, papelarias, lojas de material de construção, de autopeças, oficinas mecânicas e borracharias): funcionamento somente no período entre 14h e 18h. É importante lembrar que os consumidores não podem experimentar as peças nas lojas de roupas, calçados e acessórios;


– Lanchonetes, cafeterias, docerias e similares: funcionamento durante seis horas, podendo optar pelo horário de abertura, que deverá estar numa placa afixada na entrada do estabelecimento;


– Salões de beleza, barbeiros, cabeleireiros, manicures: funcionamento das 14h às 20h. “Muitos procuram esses serviços após seus expedientes de trabalho, então o horário aqui foi estendido, até porque esses locais só podem abrir para serviços já agendados, sem sala de espera”, explicou o secretário.


– Bares e restaurantes: apenas para serviços de entrega em domicílio;


Os prestadores de serviço, autônomos ou não, podem retomar suas atividades, mas apenas entre as 8h e as 12h, e também somente para atendimento com horário marcado.


Além da retomada da atividade econômica, outras medidas importantes que chegam com a bandeira amarela nível I são a retomada da cobrança do sistema Maricá Rotativo e a autorização para cultos religiosos – devendo estes seguir as regras de limitar a ocupação a 30% da capacidade do local, uso de máscaras por todos, distância de 1,5m entre os fiéis e intervalo de duas horas entre celebrações, para higienização do local.


MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon