top of page

SG Eleições 2024: Três polos políticos devem protagonizar pleito desse ano

Janela partidária que permitiu filiações terminou nesse sábado (6)


Por Cláudio Figueiras

Nelson Ruas, Dimas Gadelha e Prof. Josemar/Foto: Reprodução
Nelson Ruas, Dimas Gadelha e Prof. Josemar/Foto: Reprodução

Na superfície dos sites de notícias e nas redes sociais oficiais dos partidos, pouco se viu sobre as movimentações políticas que ocorreram até o último segundo antes do fechamento da janela partidária às 23h:59min deste sábado (6). Esse foi o prazo para filiação dos pré-candidatos que pretendem concorrer às eleições municipais deste ano.


As intensas movimentações se concentraram em três polos. O primeiro deles, e com maior poder de atração, foi o do governo, que conseguiu aglutinar 12 partidos em apoio à reeleição do prefeito bolsonarista Nelson Ruas (PL). Estão com o atual chefe do Executivo PL, PP, União Brasil, Solidariedade, MDB, Cidadania, PSDB, Podemos, PRD, PMB, Avante e o Republicanos.


O outro polo, o de oposição liderado pelo deputado federal Dimas Gadelha (PT), atraiu em torno de si 6 partidos, os que compõem a federação com o PT (PCdoB e PV), além do PSB, PSD e, para surpresa de muitos, o PDT, que na reta final declarou apoio à candidatura do petista.


O terceiro e último polo é o do deputado estadual Prof. Josemar (Psol), que vai contar em sua campanha apenas com o partido que forma a sua federação partidária, a pequenina Rede.


LEIA MAIS:


À medida que o tempo foi passando e a janela se fechando, velhos acordos eram desfeitos e novos celebrados, com muitas "puladas de cerca". O Republicanos, partido da Universal, na reta final "pulou" para o capitão. Candidatos que eram "vermelhos" num dia, no outro já estavam "azulados" posando para fotos, sorridentes, ao lado do filho do prefeito, o deputado estadual Douglas Ruas na sede do PL.


"O governo está vindo pesado pra levar nossos candidatos pro campo deles. Tá difícil montar a nominata por causa disso", disse ao Daki reservadamente um interlocutor envolvido na montagem das nominatas dos partidos de apoio a Dimas Gadelha.


De acordo com a nova regra eleitoral, cada partido ou federação pode montar nominatas com no máximo 28 candidatos, o que, segundo especialistas, deve jogar o corte eleitoral em São Gonçalo para próximo de 3 mil votos. O coeficente partidário é de 20 mil votos na cidade para garantir uma cadeira na Câmara.


O PL, através do filho do prefeito, formou um blocão e assumiu, na prática, o controle dos partidos aliados distribuindo entre as legendas os nomes que irão concorrer a uma vaga na Câmara, dando preferência e peso aos que já possuem mandato, motivo de insatisfação surda de alguns pré-candidatos, segundo apurado pelo Daki.


São pelo menos 22 de 27 vereadores nessa condição, que terão à sua disposição, além dos cargos, equipamentos da prefeitura que já estão a todo vapor os servindo em suas bases eleitorais, indo ao limiar da prática de crime eleitoral.


Dos três polos que vão concorrer à prefeitura, apenas o liderado pelo PT já tem uma chapa majoritária bem encaminhada. Dimas Gadelha na cabeça de chapa com o ex-vereador Thiago da Marmoraria (PSB) como vice. O anúncio do convite de Dimas a Thiago foi feito pelo ex-vereador nos stories de sua conta no Instagram nesta sexta (5).


O PRTB, liderado pelo vereador Jalmir Junior ainda não se posicionou publicamente se irá lançar candidatura própria ou aderir a um dos polos em disputa pela cadeira branca do prefeito.


As convenções partidárias de escolha dos candidatos e candidatas para as disputas do Executivo e do Legislativo deve ocorrer entre 20 de julho e 5 de agosto.


Atualizado às 17:06 horas.


Entre no nosso grupo de WhatsApp AQUI.

Entre no nosso grupo do Telegram AQUI.

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.

POLÍTICA

KOTIDIANO