top of page

Em carta, grupo apela a Molon pela retirada de candidatura ao Senado

Intelectuais pedem desistência como ato de grandeza de deputado


Por Rodrigo Melo

Molon: Reprodução Internet
Molon: Reprodução Internet

Nomes de peso da sociedade fluminense divulgaram nesta segunda (04) uma carta em que pedem encarecidamente a Alessandro Molon (PSB) a retirada de sua candidatura ao Senado. A desistência seria vista como um ato de grandeza do deputado em nome da unidade da frente ampla liderada por Marcelo Freixo (PSB) contra a ratatuia bolsonarista no Rio.


O documento é encabeçado por intelectuais como Liszt Vieira, Luiz Eduardo Soares e a advogada Gisele Cittadino entre outros.


O apelo a Molon feito pelos intelectuais em carta aberta engrossa o pedido de Freixo ao correligionário para que cumpra o acordo nacional entre PSB e PT, que o garante na cabeça de chapa ao governo do estado, a partir do apoio à chapa com Lula (PT) presidente e Alckmin (PSB) vice.



Nesse acordo, só cabe uma candidatura na mesma chapa ao Senado, destinada ao deputado petista e presidente da Alerj, André Ceciliano.


A direção nacional do PSB também defende a posição de que Molon desista do Senado, mas não gostaria de ter que ir a uma ação limite, que seria intervir no Estado.


A insistência de Molon em manter a candidatura colocou em risco a aliança que, além do PSB, reúne a federação de partidos Brasil da Esperança (PT, PCdoB e PV) e a do Psol com a Rede Sustentabilidade.


Lea a carta:


Prezado Molon,


Sua trajetória, marcada por compromissos inegociáveis com a ética, a transparência e o Estado democrático de direito, honra o Parlamento brasileiro e enche de orgulho seus eleitores. Somos admiradores e admiradoras de sua defesa corajosa e incansável do meio ambiente, das sociedades originárias e dos direitos humanos, assim como de sua luta contra a violência do Estado, o racismo e as desigualdades.


Pois agora, ante as ameaças do bolsonarismo ao que nos resta de democracia, seu papel será ainda mais indispensável. No estado do Rio de Janeiro, o ovo da serpente foi gestado. Aqui, o milicianato tem vencido e prosperado. E nesse momento, um candidato bolsonarista busca consolidar-se, tentando dividir as forças democráticas.


Sim, porque, dessa vez, aprendemos com as derrotas e estamos unidos. Pela primeira vez em décadas, temos um candidato ao governo do estado efetivamente competitivo, Marcelo Freixo, graças aos esforços que diferentes partidos e movimentos sociais têm feito para superar divergências ideológicas e projetos pessoais. O potencial de nosso candidato, além de suas próprias virtudes, reside nessa unidade sem precedentes, da qual seu partido, o PSB, tem sido um dos artífices. Nada justificaria colocar em risco a unidade, essa conquista extraordinária, que nos oferece a oportunidade de alcançar uma vitória histórica, elegendo Lula presidente e Freixo governador.


Ocorre que, se o candidato ao governo é do PSB, ao outro partido deveria caber a indicação do candidato ao Senado. Portanto, a postulação de sua candidatura ao Senado, embora legal e legítima, e fundamentada em seus méritos indiscutíveis, coloca em risco a coalizão suprapartidária, o mais poderoso instrumento político que se logrou formar, em décadas.


Temos certeza de que não é esse seu desejo. No entanto, a consequência objetiva de sua candidatura ao Senado seria a ruptura da frente ampla. Por isso, lhe dirigimos um apelo e o fazemos porque acreditamos em seu compromisso pela derrota do fascismo no Rio e no Brasil. Um gesto de grandeza de sua parte, selando definitivamente a grande unidade pela democracia, corresponderia a um passo decisivo em direção à vitória que seria também sua, porque não se cumpriria sem seu protagonismo lúcido, solidário e generoso.


Liszt Vieira Luiz Eduardo Soares Miriam Krenzinger Julita Lemgruber Heloisa Buarque de Holanda Mauro Osório Ana Carolina Lima Lili Raim Pina Jr Julio Souza Reis Gisele Cittadino Margarete Brito Ítalo Moriconi Sebastião Velasco e Cruz Tite Borges Luiz Antônio Carvalho Sandra Tosta Faillace Maria das Dores C. Machado Charles Pessanha Sylvia Tosta Faillace Sandra Rebel Gomes Otávio Velho Renée Zicman Octavio de Barros Paulo Cezar Reis Luiz Carlos Rodrigues Filho Marcia Menezes Assis Gomes Paulo Roberto Mello Eliane Longo Glauber Almeida Luiz Mello Renato Lessa Jessie Jane Vieira de Sousa Eva Doris Rosental Lília Coelho de Sousa Santos Viviane Furtado Matesco Regina de Paula Ana Luzia de Lima Cunha Cristina Salgado Maria Augusta Ramos Valéria Pinheiro Valéria Pereira da Silva Luciano Tolla Dulce Pandolfi Agostinho Guerreiro Maria Júlia Pinheiro João Ricardo Wanderley Dornelles

 

Ajude a fortalecer nosso jornalismo independente contribuindo com a campanha 'Sou Daki e Apoio' de financiamento coletivo do Jornal Daki. Clique AQUI e contribua.



POLÍTICA