Buscar

Secretária aglomera em Búzios, é chamada atenção e solta: 'Todos vacinados!'

Das duas uma, ou Lícia Damasceno mentiu, ou furou fila


Por Cláudio Figueiras

Reprodução Instagram

A secretária de Educação, Lícia Damasceno, envolvida num embate feroz com os profissionais de ensino no retorno das aulas presenciais em São Gonçalo em meio ao recrudescimento da pandemia no Brasil, aproveitou o feriado do Carnaval na cidade de Búzios e gerou outra polêmica, a terceira, em menos de uma semana.


Damasceno, que tem demonstrado não ter uma boa relação com as redes sociais nos últimos dias, foi flagrada, risonha, ao lado do marido e do ex-PM vereador youtuber bolsonarista Gabriel Monteiro (PSD), no famoso balneário da Região dos Lagos, aparentemente no domingo de Momo, dia 14 de fevereiro.


Num post publicado no Instagram numa conta de terceiros, um usuário, que provavelmente mora no exterior, pergunta na caixa de comentário abaixo da foto do trio:


- E corona. Não existe nao Brasil? (sic).


Ao qual Damasceno desdenha e rebate:


- Não! Só em Portugal. Aqui todos vacinados.


Um pai de aluno, que viu a postagem e a fatídica intervenção da secretária antes de ser apagada do Instagram, quis saber, perplexo, se todos foram mesmo vacinados. A dirigente do sindicato dos profissionais de ensino (Sepe), Maria Nascimento Silva, desmente, claro, a secretária.


- Foi o que eu achei. Mas ainda bem que tem como provarmos o que ela fala. Cada hora uma mentira diferente. Mas vocês podem contar com nós pais que estamos resguardando os nossos filhos. Estamos a favor da educação - disse o pai.


Damasceno, que foi candidata a vereadora pelo PL em 2020, é acusada pelos profissionais de ensino de conduzir o processo de retorno às aulas com truculência, autoritarismo e irresponsabilidade, por não garantir, nas unidades de ensino, segurança sanitária aos trabalhadores, que seguem em greve, ratificada em assembleia realizada na sexta (26/2). As escolas reabrem hoje, 1º de março, e as aulas presenciais começam na próxima segunda, 8.


O protocolo criado pela Secretaria de Educação (Semed) para evitar contágio do coronavírus segue as orientações internacionais, portarias do Ministério da Saúde e decretos municipais desde março de 2020, que inclui, dentre outros cuidados, evitar aglomerações e o uso permanente de máscara, tudo que Damasceno não fez na ensolarada Búzios.


A secretária, que é servidora pública, gerou revolta na semana passada em seus colegas ao afirmar, também no Instagram, que servidor se esconde atrás do concurso para não trabalhar. Diante da repercussão negativa, apagou o post. O movimento #ForaLícia foi criado nas redes sociais pedindo sua demissão.


Já neste sábado, 27/02, em outro post infeliz, dessa vez no Facebook, disse, utilizando um termo racista, que "toda postagem sobre os trabalhadores da área educacional tem o intuito de valorizar e não denegrir a imagem dos servidores concursados". Ela também apagou o post minutos depois.


O Jornal Daki pediu esclarecimentos à Prefeitura sobre a suposta imunização de Lícia Damasceno contra a Covid-19. Segundo a Secretaria de Saúde, na atual fase de vacinação apenas idosos a partir de 81 anos e profissionais da área têm direito à vacina.




MV1.2.jpg
MALUGA_2.jpg

© 2020 POR APOLOGIA BRASIL

  • w-facebook
  • Instagram
  • White Twitter Icon